Vírus HPV



Conheça o hotsite
sobre o Vírus


Atenção!

1. Use sempre camisinha.

2. É muito importante que você procure seu médico de confiança.

3. Algumas ilustrações colocadas neste site foram encontradas na Internet sem autoria conhecida.  Caso alguém que detenha a autoria queira a remoção é só nos comunicar, e-mail

4. Clique aqui e veja quais são os Objetivos do Site.



Peniscopia / Genitoscopia

Inúmeros trabalhos encontrados na literatura mundial enfatizam a dificuldade de realizar um diagnóstico preciso de HPV. Hoje está claro que não existe um exame único isolado que permita o diagnóstico de certeza.

A peniscopia, vulvoscopia, vaginoscopia, colposcopia localizam lesões suspeitas; não temos certeza de que aquelas alterações encontradas são causadas pelo HPV.

Quando encaminhamos o material para histologia, podemos evidenciar alterações que sugerem a presença do vírus; também não é certeza que existe a infecção, porém esse exame é importante para fazer o diagnóstico diferencial com outras doenças. E, finalmente, hoje podemos contar com testes de biologia molecular que identificam a presença do vírus evidenciando o seu DNA. Dessa maneira, precisamos localizar lesões suspeitas e nelas pesquisarmos a presença do vírus.

A sensibilidade de um método consiste na identificação dos pacientes possivelmente infectados. Quanto mais sensível for o método, maior possibilidade de definir a infecção. Isso não significa que esses pacientes estejam infectados.

Por isso, o método tem de ter alta especificidade, ou seja, deve permitir distinguir, entre os pacientes suspeitos, aqueles que não têm a infecção. A peniscopia tem alta sensibilidade e os métodos de biologia molecular, alta especificidade.

GENITOSCOPIA

A genitoscopia consiste no exame da região genital masculina que inclui: pênis, uretra, escroto, pube, região inguinal e região perineal.

Peniscopia

A realização da peniscopia segue três tempos:

1º tempo: Exame do pênis a olho nu, pesquisando-se condilomas acuminados, por vezes minúsculos, e pápulas cor da pele, transparentes, vermelhas, róseas, leucoplásicas ou pigmentadas.


Foto exame físico

2º tempo: O pênis é envolto com gaze embebida em ácido acético a 5%, cobrindo a sua superfície e elevando o prepúcio, já que a sua parte interna é o local mais acometido.


Fotos ácido acético

Lesão acetopositiva

3º tempo: São realizadas biópsias, nas lesões clínicas e subclínicas, e o material colhido é encaminhado para histologia e pesquisa do DNA viral.

A peniscopia tornou-se um método muito importante para localizar as lesões suspeitas de estarem infectadas pelo HPV, por permitir o diagnóstico de lesões subclínicas no homem assintomático.

Hoje utilizamos a videopeniscopia, que consiste em realizar a peniscopia acompanhada por um sistema de vídeo, que possibilita o acompanhamento do exame pelo paciente e a documentação do exame.


Foto lesão verrucosa

Videopeniscopia

Acredito que a melhor maneira de se realizar uma peniscopia é com o paciente em posição ginecológica, devido a vários motivos, tais como:

- paciente fica imóvel;
- permite a visualização da região inguinal, perianal e perineal;
- facilita a coleta de exame;
- facilidade da realização do tratamento.

INDICAÇÃO DE PENISCOPIA / GENITOSCOPIA

1 - parceiros de mulheres com HPV e neoplasia de colo uterino;
2 - homens com balanopostite de repetição;
3 - homens com outras DST;
4 - homens que apresentaram verrugas no passado;
5 - pacientes com múltiplas parceiras;
6 - exame pré-nupcial
7 -início de novo relacionamento, a pedido do casal.

Prof.: Dr Júlio José Máximo de Carvalho - Telefone: (11) 3832-0505

Voltar
 
Publicações




Falando sobre o HPV
Papilomavírus humano




Manual prático do HPV
Papilomavírus humano

Copyright © Insituto Garnet - Rua Búlgara, 190 - Lapa - São Paulo - CEP 05057-060 - Fone: (11) 3832-0505 - Última atualização em  26/06/2009
Desenvolvimento: Primeira Impressão Design